"Dedicado à promoção e treino canino da raça Rottweiler e demais raças de cães ."

Cláudio Nogueira

Onde procurar

Aspetos a considerar

O que deve saber...

Considerações gerais

Quando se parte para a seleção de um cachorro, a escolha da raça deve estar definida e bem ponderada. Não menos importante, deve igualmente estar percebido e avaliado os requisitos inerentes à decisão de ter um cão.

Caso assim seja, nesta fase, existe agora outro tipo de aspetos a considerar.

Onde procurar um cachorro

No caso de se tratar de uma compra, os locais para o efeito, não devem passar por lojas de animais, portais de vendas on-line, Jornais de ocasião, amigos que apresentam ninhadas, etc.

Se o mencionado anteriormente se aplica a todas as raças, aquelas que estão catalogadas como “potencialmente perigosas” pela legislação portuguesa, exigem cuidados adicionais.  Neste caso, apenas afixos de criação com licenciamento emitido pela DGAV ( Direção Geral de Alimentação e Veterinária ), estão aptos a exercer a atividade de criação. Caso esta situação não se verifique, os criadores estão a cometer uma ilegalidade, estando igualmente impedidos de registar os seus cachorros no CPC ( Clube Português de Canicultura ). Desta forma, o LOP ( pedigree ), não poderá ser emitido. Uma das consequências diretas, ao abrigo da legislação em vigor, é a esterilização dos exemplares em causa.

O potencial comprador, deve ter consciência que caso não seja seletivo na escolha do criador, estará a contribuir para uma “industria” maléfica para a sociedade e para o bem estar animal.
Igualmente, desvaloriza a criação rigorosa, aquela que se baseia em estudos criteriosos de linhas de sangue e no despiste de patologias características de determinadas raças.

Infelizmente, por falta de informação, o verdadeiro criador é confundido com aqueles que reproduzem cães sem qualquer preparação para o efeito. Estes últimos procuram o lucro imediato e inundam a sociedade de cães. Alguns com sérios problemas de saúde e comportamentais.
 
Cachorros Rottweiler
 
Os clubes de raça devem ser procurados em primeira instância, devido ao facto dos seus criadores associados cumprirem com uma regulamentação imposta para criação. Esta realidade confere maiores garantias em relação aqueles que se limitam a reproduzir cães sem qualquer critério.

No caso da raça Rottweiler, poderá ser consultado o Rottweiler Clube de Portugal ( www.rcp.pt ). O site institucional do clube dispõe de uma lista de criadores, os quais estão em conformidade com a legislação atual, inerente às raças consideradas "potencialmente perigosas".

Igualmente, poderá ser solicitada ao Clube Português de Canicultura ( www.cpc.pt ) uma lista de criadores para a raça desejada. De salientar que a lista em causa, por si só, não é garantia de qualidade.

Como selecionar o criador

Embora, inicialmente possam ser critérios de escolha, a proximidade do criador e o valor de venda por este praticado, estão longe de serem “os critérios”.

O historial do criador, o qual tenha provas dadas, deve ser considerado em primeira instancia.
Entenda-se como historial, os anos de criação dedicados à raça ( preferencialmente uma única raça ), exemplares apresentados e validados em exposições de beleza e, se aplicável, complementados com testes de caracter ou provas de trabalho. Estes últimos aspetos, são fundamentais em raças como o Rottweiler.

O contacto telefónico, uma boa presença na Web, fotos de exemplares, não devem colocar de parte uma visita presencial ao criador. Visita que deverá anteceder a compra efetiva do cachorro. Desta forma, terá a oportunidade de verificar em que condições o seu futuro cão será criado e, não menos importante, aferir a preocupação do criador em relação a quem lhe pretende comprar um cachorro.

De salientar, em função da legislação inerente às raças consideradas “potencialmente perigosas”, os criadores devem ser detentores do licenciamento HFC2, emitido pela DGAV. Caso este licenciamento não seja apresentado, o potencial comprador está perante uma ilegalidade, sendo aconselhável a denuncia da mesma à DGAV.

No caso das raças consideradas “potencialmente perigosas”, o potencial comprador, não deve aceitar o argumento de que o criador está em processo de legalização ou que, pelo facto de ser/não ser sócio criador do Rottweiler Clube de Portugal, não necessita do licenciamento HFC2. Este ultimo, é uma exigência governamental do nosso país e não dos clubes de raça.

Ainda no caso das raças consideradas “potencialmente perigosas” e em função da legislação inerente, não deve ser aceite um pedigree, oriundo de outro país ( Ex: LOE – Espanha ). Tal situação, é considerada uma importação, a qual é não é permitida. Um exemplar importado, mesmo sendo detentor de Pedigree ( emitido no país de origem ), fica automaticamente obrigado à sua esterilização.

O que saber sobre os progenitores do cachorro



Os progenitores dos cachorros, devem ter como mínimo de idade, vinte meses. Pelo menos a fêmea deve estar com o criador e deverá poder ser visitada. Será desejável que possa haver alguma interação com a progenitora. O macho não estando presente, deve estar bem documentado, não só em fotos mas também em toda a documentação que seja exigível para a raça que representa.

No caso do Rottweiler, deverão ser apresentados os resultados dos exames efetuados à Displasia da anca e Cotovelo ( não obrigatório ) e pelo menos um dos seguintes testes: Teste de sociabilidade do CPC, Prova de BH, Teste de carater do RCP ou prova de trabalho (RCI/IPO). Deverá ainda ser apresentado o Pedigree de ambos os progenitores. Seria desejável, a apresentação do CAR ( Certificado de Aptidão a Reprodução ) ou similar do clube de raça respetivo.

Obs. – No caso da raça Rottweiler o grau de displasia da anca/cotovelo não pode ser superior a HD+ (C - displasia leve). Caso um dos progenitores tenha o grau C, o outro deverá, preferencialmente, ser grau A.



Obs. –  Caso sejam referidos títulos de trabalho, prova de BH ou mesmo o Teste de sociabilidade do CPC para os progenitores que estejam presentes nas instalações do criador, este deve apresentar a caderneta de trabalho do exemplar em causa. Esta caderneta, emitida pelo CPC ( Clube Português de Canicultura ), é o local onde fica averbado o titulo obtido.

No caso do Rottweiler, poderá obter mais informações sobre a criação e criadores, contactando o Rottweiler Clube de Portugal. No site do clube, encontrará a lista dos sócios criadores, os quais estão em conformidade com a legislação portuguesa, inerente às raças consideradas “potencialmente perigosas”



Macho ou Fêmea



Cachorro Rottweiler


As fêmeas tem um carácter “menos forte”, um temperamento mais dócil, são “mais fáceis” de treinar, menos corpulentas e mais apegadas ao dono. No entanto, não deixam de ser excelentes guardas ou menos destemidas. São uma boa opção para um ambiente familiar.

Obs. – As cadelas que cresçam rodeadas de atenção frequente / mimo poderão tornar-se possessivas em relação aos seus donos, tornando-se por esse facto agressivas com pessoas e animais.

Os machos são corpulentos, de carácter mais forte, um pouco mais independentes e devido ao facto de amadurecerem mais tarde, poderão ser “mais difíceis” de treinar. Os machos podem igualmente ser integrados em ambiente familiar, contudo é importante que o futuro detentor / agregado familiar tenha experiencia com cães ou esteja disposto a fazer uma aposta clara nessa vertente, frequentando desde cedo uma escola de treino canino, Workshops, etc.
 


Obs. – O anteriormente explicado para as fêmeas, aplica-se aos machos. Adicionalmente, ao crescerem, os machos apegam-se ao seu espaço / território, desenvolvendo um grande sentido de guarda territorial. Esta ultima característica não deve ser estimulada e deve ser gerida com grande sentido de responsabilidade. Principalmente, se estivermos a falar de um cão de companhia, o qual deve estar bem sociabilizado.
    

Escolher um cachorro
Existem raças de cães com características muito próprias, pelo que será fundamental o potencial comprador ser conhecedor dessas mesmas características. Será um elemento facilitador no momento da escolha de um cachorro, quer na vertente morfológica quer na vertente comportamental. Ainda assim o criador, deverá ser conselheiro e conhecedor dos seus cachorros, permitindo uma escolha mais adequada e consciente.

No caso do Rottweiler, dado o que se diz desta raça, muitas pessoas quando vão escolher um cachorro pensam em trazer o mais sossegado ou tímido da ninhada. Isto é errado. O exemplar em causa pode estar doente ou ser receoso. Um cachorro com receio e sem confiança em si próprio, poderá tornar-se num animal agressivo.

Com o devido aconselhamento do criador, a escolha do potencial comprador deve apontar para um cachorro desinibido e brincalhão. Um cachorro que não se mostre “preocupado” com o que o rodeia, com ruídos estranhos ou súbitos.

Obs. – Será desejável que o criador tenha os seus cachorros claramente identificados em função das suas características ( Temperamento e Morfologia ) e, não menos importante, em adequado estado de limpeza.

As movimentações dos cachorros, devem ser soltas e bem coordenadas em todas as patas.
No caso da raça Rottweiler, os cachorros devem apresentar uma boa estrutura óssea, um focinho curto ( ver estalão ), afogueados bem delimitados ( ver estalão ), pelo curto, cauda (não encaracolada – ver estalão ), dentição correta ( em tesoura – ver estalão )


Na altura da entrega, os cachorros devem ter como mínimo dois meses de idade ;Estarem primo vacinados e desparasitados ; Estarem identificados com Micro-chip onde constará o número de LOP (registo oficial emitido pelo Clube Português de Canicultura) ; Serem acompanhados de toda a documentação oficial ( Pedigree provisório / cópias dos documentos dos progenitores ).

Obs. – Caso o cachorro não vá ser alimentado com a mesma ração usada pelo criador, este deve facultar gratuitamente uma quantidade suficiente de alimentação para que a transição seja feita de forma gradual ( misturar a ração atual com a nova ração ).

No caso da raça Rottweiler, deve evitar as seguintes características:


 
Cachorros pequenos para a idade;  Magros ou apáticos; 
Manchas brancas no pelo ( ter em atenção o peito do cachorro ); 
5ª unha por amputar.; Prognatismo / Enognatismo (Deslocamento para dentro ou para fora da dentição); 
Falta de testículos ou somente um; Pelo excessivo.
 
A escolha final do cachorro, poderá ser sempre da responsabilidade do potencial comprador. Contudo, um criador sério saberá indicar qual o cachorro que se adaptará melhor ao estilo de vida do seu cliente. A observação diária da ninhada a par da realização do Teste de Campbell (*), dará bons indicadores em relação ao temperamento de cada cachorro.




(*) - Teste de Campbell - Conjunto de exercícios que permitem avaliar a Atração, Sociabilidade, Confiança, submissão e “dominância” de um cachorro.
 
Cláudio Nogueira
Amigo do Rottweiler ...e não só!